♥Poesia Cigana

Bailan las gitanas,
míralas el rey;
la reina, con celos,
mándalas prender.
Por Pascua de Reyes
hicieron al rey
un baile gitano
Belica e Inés.
Turbada Belica,
cayó junto al rey,
y el rey la levanta
de puro cortés;
mas como es Belilla
de tan linda tez,
la reyna, celosa,
mándalas prender.
Miguel de Cervantes y Saavedra
 
 

 

Ser Cigano

Fogo, música, dança, alegria, sedução, paixão.
Ser cigano é percorrer esta estrada sem se prender a nenhuma estação.
Ser cigano é acender uma fogueira no próprio coração para dançar a vida com magia, coragem e paixão.
Ser cigano é brincar com fogo sem se queimar.
Ser cigano é beber vinho sem se embriagar.
Ser cigano é se apaixonar sem se aprisionar.
Ser cigano é sempre dançar sem, jamais tropeçar.
Ser cigano é cantar as palavras do seu coração com beleza, força e sedução.
Ser cigano é sempre estar atento para ver em que direção vai soprar o vento.
Ser cigano é nunca temer a liberdade do risco de viver.
Ser cigano é aceitar a vida como uma melodia que, como tudo, tem seu princípio, meio e dia.
Ser cigano é saber seduzir, sem se seduzir pela própria sedução.
Ser cigano, enfim é ser humano e brilhar assim mesmo.”
Aiyan Zahck
 
 
 

 

Cigana

Chegaste tímida,
descalça e com lascívia no andar
E cantaste e tocaste a minha alma
E dançaste e provocaste o meu desejo
E simulaste, insinuaste e dissimulaste
E súbito olhaste no fundo de meus olhos e me desnudaste.
E as nossas células em rebelião bailaram de prazer
E suspiraste e mergulhaste e te abandonaste
na alegria de se saber mulher e desejada.
E de repente, sumiste e não mais voltaste.
E até hoje permaneceste na beleza e
sensualidade de todas as mulheres.
José Eduardo Mendes Camargo
 
 
 

 

Violino Cigano

Oh cigano, a ária triste e apaixonada
que fazes chorar teu violino entre os dedos
,soa, ainda, como uma doce serenata,enquanto,
pálido, no silêncio escutarei esta melodia que
, em noite perfumada,meu coração a um outro
coração acorrentou-se.
Toca só para mim
oh! Violino cigano…talvez penses tu,
também,em um amor, longínquo sob o céu distante…
Se uma secreta dor faz tremer a tua mão,
esta melodia de amor faz tremer meu coração,
ó violino cigano.
Tu que sonhas com a doce terra da Hungria,
toca ainda com toda alma cigana…quero,
chorar como tu, de nostalgia na lembrança
de quem meu coração abandonou como o
canto que tu difundes pela estrada,com o
vento, a minha paixão desvaneceu.
Toca só para mim,
Esta melodia é de amor,mas o meu amor
está distante…toca, toca para mim
Pois se choro contigo
ó violino cigano!…
(Letra original e música de C. A. Bixio e B. Cherubin)
Trad. de José Carvalho
 

 

Olhos Ciganos

Os olhos ciganos
São pérolas negras reluzentes
Carregados de mistério e desconfiança.
Olhos vívidos e expressivos
Cujo fitar revelaUma peculiar diferença
Dos olhos dos outros Homens.
Cigano não olha simplesmente
Move as pestanas e mira…
Mirada que descortina
Os mais secretos pensamentos.
Nos olhos ciganos
Há um mistério incontestável
Na estranha expressão de fitar
Que traspassa o âmago do ser
Sabedoria milenar
De um povo profético.
Os olhos ciganos
São a marca inimitável
De um povo livre e honrado
Que nunca declarou guerra
Para ocupar terra alguma.
No mundo e com o mundo
Os ciganos vão girando…
Recusando “o jugo da mediocridade”
Levando no enigmático olhar
O silêncio do “Saber”
Gitano Inconfundível, intransferível…
Eterno.
Ártemis
 
 
 

 

Gemido do Violino

Uma lágrima se solta … sem ventos, sem brisas … se volatiliza num gemido de violino!Dormes. Por dentro da luz ténue de silêncios finos, silenciados na concha tumular que cobre todas as pedras desalinhadas da calçada. Hoje caminho na Avenida. Piso a passos precisosos trilhos por onde tantas vezes viajaste sózinho dentro de mim. E sozinho em ti, perdido num labirinto. A nebulosa esmaecida teima em perpetuar-se à minha frente. Persistente, a lágrima cristalizada se solta, rola extemporânea. Avança, morde e beija a boca. Tem o sabor salgado da Saudade e, contudo,liberta, traz-me de regresso à realidade. Refulgentes, os raios iluminados da manhã, traçam nos paralelepípedos novos desenhos constelados. Das ruas pardacentas, aos poucos, a espasmos, a Primavera brota. Estrangula o vazio e a melancolia nostálgica. Emerge em sons. Eternas sintonias Genésicas. Na igreja em frente, toca o sino. As ruas recobrem-se, serenas, com as cores brancas do seu manto Divino.
Por Mel de Carvalho
 
 
 

 

A Magia Cigana

Muita gente já ouviu falar e, certamente, já sentiu uma ponta de curiosidade a respeito da magia que os ciganos trazem na sua cultura e sangue. Seus antigos ensinamentos, suas tradições e o seu folclore ao mesmo tempo que fascina, provoca um misto de medo e admiração.
Vários pesquizadores de diversas origens estudaram as magias e encantamentos utilizado pelo povo do Vento ou povo Cigano. Suas magias vem de tradições milenares possuem uma conexão com antigos rituais em que entram em um estado de transe, utilizando esse procedimento para atingir seus objetivos. Em todas as magias do povo cigano eles invocão forças naturais como as energias elementais ( ar, água, fogo, terra). Para o povo do vento e das estradas a própria terra é um lugar sagrado.

Canção Gitana

Eu sou a flor de Sevilha,
Rachel da terra do Sol!
no ouro da minha mantilha,
rubeja o fogo espanhol!
Quando as salas estão cheias,

nas verbenas do Alcazar,

concentro azougue nas veias

e vitríolo no olhar!

Danço a zambra, entre sorrisos,

quebrando os braços e os rins,

ao retintinir dos guizos,

tricolejar dos cequins!

A gambiarra ensandalada,

infanta e odalisca, eu sou

uma pantera assanhada,

que freima enfervorizou!

Goya, encarnando a luxúria,

fez a “Maja” granadi!

Só ele exprimiu a fúria,

que ardeja em meu frenesi!

Simulo uma labareda,

columbreando no salão,

longa víbora de seda,

a roxo-rei e zarcão!

E, esfuzilando, felina,

a rir e a gritar: — olé!

Minha peçonha assassina

enfeitiçou dom José!

Temperamento boêmio,

sendo agarena, talvez,

meu coração é irmão gêmeo

das gitanas do Xerez!

Há um nufar, que, um dia, no ano.

Um dia, apenas, reluz:

É assim o amor sevilhano,

é assim o beijo andaluz!

Repicando a castanhola,

minha estridência contém

arrogância de espanhola,

furor, de fera no harém!

São negros os meus cabelos,

como os meus olhos tafuis,

porém tão negros que, ao vê-los,

até parecem azuis!

Os cascavéis do pandeiro

estridulam, em destom,

num trastralastrás brejeiro,

ou surdo dongolodrom!

E, espaventando o exagero,

bela, bárbara, brutal,

fulveja meu desespero

na sarabanda infernal!

— Bravo! Que guapa y reguapa!

e, em delírio, um toureador

aos meus pés estende a capa,

embebedado de amor!

E, para que ele se zangue,

meu desprezo respondeu:

— Que culpa tem o meu sangue

de ser mais rubro que o teu?!

É volúvel, mas sincero,

meu coração de mulher:

A quem me quer, eu não quero.

Só quero a quem não me quer

Filhos do Vento

“Eles se movem como o sol e a lua.São nômades. Ou antes, são como as ondas. Estão em toda a parte .
Chegam e partem rápido.Parecem o vento. Nem momento estão aqui . No outro, sumiram.
Numa lufada, deixam traços indeléveis de sua passagem no eco de sua música , no relinchar de seus cavalos, no sorriso alegre de suas mulheres.
Não, não são o vento. São os filhos do vento!”
O texto acima faz parte de um poema escrito na Pérsia 200 a 400 antes de Cristo. Um povo é chamado Filhos do Vento e a ele se refere o autor anônimo como “o povo que veio do rio”, numa alusão ao rio Sind , no norte da Índia , na região de Gujarat.
As lendas mais antigas, contadas boca a boca, falam que o povo hoje chamado de cigano originou-se dos descendentes dos anjos caídos que se juntaram com “as filhas dos homens” , conforme descrito no Livro Apócrifo de Enoque.
Uma lenda conta que os ciganos são descendentes diretos de Adão e Lilith, uma mulher anterior a Eva.Por esse motivo, os ciganos formam o único povo a não nascer com o pecado original.
 
 

 

Amor Cigano

Existe uma floresta mágica,
em meio a Terra-De-Caraguatás,
lugar de bruxas e fadas,
duendes, gnomos também.
Nesta terra é claro que ainda de faz-de-conta, onde ao largo se encontra o mar,
em meio a mata-virgem, ouvi uma cigana cantar
Um canto, tão lindo, tão forte,
que encanta a própia luz do luar, e faz os habitantes da mata
pararem para ouvi-la cantar.
A linda Cigana de vestes coloridas…como o arco-íris,
balança a saia, se faz movimento, e dança…dança…dança!!!
E eu, assisto enebriado, o mágico momento
Rogando a Lua…Que me transforme em vento
e com toque de pura magia,
permita-me tocar teu corpo e …
entre as flores, … de mansinho… te amar!!!
Plínio Parente

 

Mustra la mano, señura,
No hayas ningun recelo.
Bendígate Diuz del cielo,
Tú tienez buena ventura,
Muy buena ventura tienez.

Muchuz bienez, muchuz bienez,

Un hombre te quiere mucho,

Otroz te hablan de amurez;

Tú, señura, no te curez

De dar á muchuz escuto.

Gil Vicente (Auto de umas ciganas, 1521)

Nuvem Cigana

Nuvem cigana

Se você quiser eu danço com você
No pó da estrada
Pó, poeira, ventania
Se você soltar o pé na estrada
Pó, poeira
Eu danço com você o que você dançar
Se você deixar o sol bater
Nos seus cabelos verdes
Sol, sereno, ouro e prata
Sai e vem comigo
Sol, semente, madrugada
Eu vivo em qualquer parte de seu coração
Se você deixar o coração bater sem medo
Se você quiser eu danço com você
Meu nome é nuvem
Pó, poeira, movimento
O meu nome é nuvem Ventania,
flor de vento
Eu danço com você o que você dançar
Se você deixar o coração bater sem medo
Se você deixar o coração bater sem medo
Se você deixar o coração bater sem medo

Música de Lô Borges e Ronaldo Bastos

10 Respostas to “♥Poesia Cigana”

  1. Marcelo Fernandes Says:

    Linda. Adoraria te conhecer.

  2. kalyandra Says:

    adorei tudo.Linda as poesias

  3. linda a sensatez da declaração de respeito e amo a essa tão honrada entidade, salvecigasa lindas, e po falar nisso qual é o nome desta cigana acima? pele clara cabelos negros e adereço na testa?
    obrigada !

  4. very good article, thank you for sharing. your sharing information is very useful for me, thank you!

  5. adorei sua pagina,parabens

  6. luz13 Says:

    Gostei muito do blog. Conheci o Povo Cigano com Aline, da Cidade das Pirâmides e, tenho um respeito e gratidão enorme a eles e a Cigana Shalimar!!
    Vocês conhecem o Programa De Olho No Mundo?(www.deolhonomundo.com) Aline em seu programa analisa a essência humana, o mundo, astrologia, fenômenos ocultos…, em sua plenitude. Tenho certeza que vocês gostarão. Abçs.

  7. MARGÕ Says:

    Lindos poemas .PARABÉNS!!

  8. Gisele Says:

    e linda essa pagina Parabéns !!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: